Os 5 principais cursos superiores de TI, suas diferenças e mercado de trabalho! - TecForest

NEWS

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Os 5 principais cursos superiores de TI, suas diferenças e mercado de trabalho!

Bem, se você já identificou que gostou de Tecnologia e deseja trabalhara na área, você já está quase no ponto certo, agora você só precisa ler o post e e entender os principais cursos na área de Tecnologia, bem como as suas diferenças.
Nesse tópico vamos falar dos 5 principais cursos superiores de TI, e as diferenças entre cada um deles. Variando entre cursos voltados para pessoas que não possuem experiência prévia com TI/programação/sistemas e cursos que trazem uma bagagem muito mais completa e rigorosa no que tange o estudo e desenvolvimento de hardwares e softwares.

1. Engenharia da Computação
É o conjunto de conhecimentos usados no desenvolvimento de computadores e periféricos, ou seja, o foco principal é o hardware. Este engenheiro projeta e constrói computadores, periféricos e sistemas que fazem a integração entre hardware e softwares. Ele entende de placas e circuitos e pode projetar sistemas digitais, computadorizados e robôs.

O que você pode fazer?

Automação industrial e robótica Projetar robôs, sistemas digitais e computadorizados para fábricas.


Desenvolvimento de softwares e aplicativos Criar programas de computadores segundo as necessidades do cliente. Projetar e desenvolver novos sistemas operacionais e linguagens específicas, buscando inovações tecnológicas.

Fabricação de hardware Projetar e construir computadores e periféricos.

Marketing e vendas Planejar e coordenar ações para a comercialização de equipamentos de informática.


Suporte Gerenciar redes de computadores em grandes empresas e dar assistência a elas.


Mercado de Trabalho

Mesmo com o país em crise, o setor de Tecnologia da Informação continua crescendo, gerando demanda por profissionais capacitados, entre eles o engenheiro da computação. A maior demanda está na área de big data, em que o bacharel desenvolve algoritmos matemáticos para analisar dados e, assim, ajudar a melhorar o desempenho dos negócios. Trabalhar com sistemas embarcados é outra opção para o graduado. Entre os setores que mais demandam novas tecnologias estão o de serviços em geral, aeronáutico, automobilístico, financeiro e de telecomunicações, com destaque para a telefonia celular. O profissional também é requisitado para atuar na área de vendas, comercializando equipamentos de alta tecnologia. A maior oferta de emprego está nas regiões Sul e Sudeste, mas há também outros polos, como o de Recife (PE), nas empresas do Porto Digital.

2. Ciência da Computação
Analisa as necessidades dos usuários, desenvolve softwares e aplicativos, gerencia equipes de criação e instala sistemas de computação. Cria ferramentas da informática, dos softwares mais básicos, como os usados para controle de estoques, até os mais complexos sistemas de processamento de informações. Também dá assistência aos usuários, manutenção a redes de computadores e a conexões com a internet. Pode, ainda, implantar e gerenciar bancos de dados e instalar sistemas de segurança para as operações de compra e venda pela rede.
O que você pode fazer?
Banco de dados Desenvolver programas de computador que organizam, classificam e indexam informações.

Desenvolvimento de softwares e aplicativos Elaborar programas, dentre eles jogos de computador.

Marketing e vendas Divulgar e vender software e hardware. Analisar e planejar novos produtos.

Suporte Assessorar usuários na compra de equipamentos e programas. Dar manutenção a sistemas e redes de computadores.
Mercado de Trabalho
De acordo com o estudo The Network Skills in Latin America, encomendado pela Cisco, empresa de soluções de TI, até 2019 o Brasil precisará de 161 mil profissionais de Tecnologia da Informação (TI) para atender à demanda do mercado. A área que oferece mais empregos é a de sistemas de informação, no desenvolvimento de softwares específicos. Conhecimentos como datacenter, big data (veja o quadro abaixo), segurança cibernética, internet das coisas, nuvem e mobilidade são competências buscadas pelos recrutadores. O desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis também está em alta. Neste caso, espera-se do profissional capacidade de testar nas plataformas móveis (Android e IOS). O bacharel pode, também, se dedicar à análise de problemas e soluções, como gerenciamento de dados em instituições financeiras e informatização de folhas de pagamento. Um dos profissionais mais procurados pelas empresas para assumir o cargo de gerente de TI é o cientista da computação. Junto com a equipe, ele é responsável pela infraestrutura de tecnologia da companhia, cuidando de help desks, backup de dados, redes de telefonia e segurança. Com a ascensão do comércio eletrônico, uma área aquecida é a de Arquitetura de Sistemas, em que o profissional dá suporte à usabilidade e facilidade de obtenção de informação em websites, intranets e comunidades online em tempo real. Os estados da Região Sudeste concentram a maior parte das empresas de TI e as melhores oportunidades. Mas o mercado de trabalho é bom, também, na Região Sul e em Brasília (setor público). No Recife (PE), a demanda pelo egresso é aquecida pelas mais de 200 empresas de TI instaladas no Porto Digital.

3. Sistemas de Informação
Ele desenvolve o processamento, os sistemas de armazenamento e de recuperação de dados e disponibiliza esse material para usuários de redes, criando, adaptando e instalando programas para facilitar e organizar a consulta. Monta e gerencia banco de dados e desenha páginas de sites, funcionais e elegantes – tarefa que exige versatilidade e criatividade. Pode atuar em qualquer tipo de empresa de quase todos os setores, de bancos e organizações de saúde a empresas públicas e de comércio eletrônico. Conhecer inglês é mais do que essencial. É possível ingressar na carreira como tecnólogo. Há uma grande variedade de cursos superiores de tecnologia nessa área. E vários deles, apesar de apresentar grades curriculares muito semelhantes, enfatizam determinados segmentos de atuação, como banco de dados ou internet.

O que você pode fazer
Desenvolvimento de softwares Projetar e desenvolver sistemas, bem como tratar da funcionalidade de sites.
Ensino Lecionar em escolas de ensinos Fundamental, Médio e técnico ou em faculdades.

Fluxo de informação Modernizar e agilizar o processo de comunicação de uma empresa, criando, adaptando e instalando programas.

Gerência de projetos Fazer a interligação entre a administração da empresa e a área de computação.

Logística Criar softwares para planejar e administrar rotas, sistemas de armazenagem e o tempo de entrega de produtos.

Marketing e vendas Gerenciar a comercialização de equipamentos, periféricos e softwares.

Modelagem Construir modelos matemáticos que simulem situações reais, a fim de antever e prevenir problemas.

Suporte técnico Fazer a manutenção de sistemas, de banco de dados e de redes de computadores.
Mercado de Trabalho
O governo federal, por meio do Programa Brasil Inteligente, quer levar o acesso à banda larga de alta velocidade para 95% da população. O programa ainda prevê aumentar de 53% para 70% o número de municípios cobertos com redes de fibra óptica. Isso aquece o mercado de trabalho para esse profissional, que tem como empregadores tradicionais empresas de tecnologia da informação (TI). Eles são contratados para desenvolver softwares para plataformas móveis e fazer a correção e atualização de dados. Pode também gerir a infraestrutura de TI de uma empresa. Uma das áreas mais aquecidas é a de big data, voltada ao levantamento do perfil de um público-alvo a partir de informações publicadas na internet. Nesse segmento, há chances em empresas de qualquer ramo, de telefonia até cosméticos. Há, ainda, espaço em editoras, companhias de telecomunicações, redes de lojas e bancos. Um dos segmentos que mais se fortalece é o de educação a distância. A maior demanda está nos grandes centros, que concentram os maiores desenvolvedores de software. No entanto, aí está também o mercado mais concorrido. Fora das grandes capitais, há chances de empregabilidade em polos industriais e em cidades de médio porte.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO, ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO?
Embora os três bacharelados tenham uma base forte em matemática e contato com áreas da computação, como programação, banco de dados e sistemas operacionais, o foco de cada um deles é diferente. O professor Thiago Pardo, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, explica as diferenças a partir de um smartphone: “Se você gostaria de instalar aplicativos e adoraria desenvolver seus próprios programas, provavelmente Ciências da Computação seja o seu caminho. Mas se a sua vontade é de desmontar o aparelho, entender e pesquisar o que tem lá dentro (hardware), então considere Engenharia de Computação. Agora, se você prefere lidar com pessoas, gerenciar grupos de conversa e processos, Sistemas de Informação pode ser uma boa opção”.
4. Análise e Desenvolvimento de Sistemas
Esse curso costuma ser oferecido na modalidade superior tecnólogo. O tecnólogo com esta formação desenvolve, analisa, projeta, implementa e atualiza sistemas de informação. Tem noções de gerenciamento, mas sua especialidade é a criação de sistemas informatizados: programação de computadores e desenvolvimento de softwares para ampliar a capacidade dos recursos do equipamento. Ele implanta e desenvolve banco de dados. Conhece a estrutura física dos equipamentos e seus periféricos, e precisa se manter muito atualizado sobre aplicativos, ambientes operacionais e linguagens de programação. Além disso, precisa ter boa noção dos negócios da companhia para a qual trabalha. Os cursos nesta área se dividem, fundamentalmente, em dois tipos: os mais generalistas e os específicos para alguma área de atuação, como banco de dados. Seja como for, o currículo de todos inclui muitas aulas de Ciências Exatas, como cálculo e linguagens de computação. Em atividades práticas, o estudante faz análise e programação de sistemas e administra redes de computadores. Fazem parte do currículo matérias como aplicações em comércio eletrônico e internet. Algumas escolas exigem estágio e um trabalho de conclusão de curso.

5. Gestão em Tecnologia da Informação

Esse curso costuma ser oferecido na modalidade superior tecnólogo. O tecnólogo com esta formação desenvolve, analisa, projeta, implementa e atualiza sistemas de informação. Tem noções de gerenciamento, mas sua especialidade é a criação de sistemas informatizados: programação de computadores e desenvolvimento de softwares para ampliar a capacidade dos recursos do equipamento. Ele implanta e desenvolve banco de dados. Conhece a estrutura física dos equipamentos e seus periféricos, e precisa se manter muito atualizado sobre aplicativos, ambientes operacionais e linguagens de programação. Além disso, precisa ter boa noção dos negócios da companhia para a qual trabalha. Os cursos nesta área se dividem, fundamentalmente, em dois tipos: os mais generalistas e os específicos para alguma área de atuação, como banco de dados. Seja como for, o currículo de todos inclui muitas aulas de Ciências Exatas, como cálculo e linguagens de computação. Em atividades práticas, o estudante faz análise e programação de sistemas e administra redes de computadores. Fazem parte do currículo matérias como aplicações em comércio eletrônico e internet. Algumas escolas exigem estágio e um trabalho de conclusão de curso.

Além dos cursos superiores de TI listados acima, existem ainda outras opções, principalmente, relacionadas à ofertas EAD, Tecnólogos e cursos específicos, com foco total em uma determinada área, como: Redes de Computadores, Banco de Dados, Programação, Webdesign e Segurança da Informação.

Imagens: BeCode

Nenhum comentário:

Postar um comentário