Pizzaria está usando robôs para produzir suas pizzas - TecForest

NEWS

sábado, 25 de junho de 2016

Pizzaria está usando robôs para produzir suas pizzas


Segundo a publicação da Olhar Digital, Uma empresa no Vale do Silício, mais especificamente na cidade de Mountain View (onde também fica a sede do Google), está tentando usar um novo tipo de pizzaiolo para a produção da pizza, que não reclama, não faz pausas, não tira dias de folga e trabalha de graça. Ela se chama Marta e é feita de aço, porque é um robô.
A ideia da Zume Pizza é dominar o mercado usando robôs para tornar a produção e entrega de pizzas o mais lucrativo e eficiente possível. Para isso, a empresa também desenvolve um tipo especial de vans de entrega que permitem terminar de assar a pizza no caminho para a entrega para o comprador, mas ainda depende de aprovação das autoridades para colocar o plano em prática.
A produção ainda tem participação humana, mas ela é minimizada. Na cozinha da pizzaria, o robô Marta é pendurado no teto, em uma parte isolada do resto das pessoas, onde seus braços podem espalhar o molho sobre a massa da pizza. Os criadores a projetaram para espalhar o molho igualmente, mas não muito, “para que a pizza ainda pareça um produto artesanal”, diz o executivo Alex Garden, que também é o atual presidente da Zynga e foi gerente da Xbox Live na Microsoft.
Depois de a massa passar pelas mãos de Marta, ela segue em uma esteira de transporte para humanos que colocam o queijo e as coberturas e despacham para o segundo robô, chamado Bruno. Com 1,5 metro, a máquina coloca cada uma dentro de um forno aquecido a cerca de 450°. Por enquanto, as pizzas são feitas na totalidade dentro deste forno, mas a empresa espera passar a assá-las dentro dos tais carros de entrega que estão com autorização pendente.


O robô Marta, que é uma das duas máquinas de produção de Pizza da Zume, é fruto de uma parceria iniciada em outubro deste ano entre a empresa com a ABB, uma companhia suíça de robótica. Em abril foi entregue a primeira pizza feita por robôs a um cliente que não sabia da sua origem automatizada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário