Netflix deve ganhar opção de download até o fim do ano - TecForest

NEWS

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Netflix deve ganhar opção de download até o fim do ano

Segundo o que foi publicado na Olhar Digital sexta-feira, 24, dois meses atrás o CEO da Netflix, Reed Hastings, finalmente admitiu que a companhia estava aberta a discutir uma possibilidade de permitir o download de seu conteúdo. Agora fontes do mercado dão como certo que a novidade começará a ser explorada ainda neste ano.
“Sabemos, através das nossas fontes dentro da indústria, que a Netflix lançará este produto”, diz Dan Taitz, COO da Penthera. Em entrevista ao LightReading, ele fez sua aposta: “Minha expectativa é que até o fim do ano a Netflix estará lançando download-to-go como uma opção para seus consumidores.”
Isso significa que a locadora, ao invés de permitir que usuários baixem conteúdo para armazenar permanentemente, liberaria apenas parte do material para que ele pudesse ser consumido em determinados espaços de tempo - no transporte de casa até o trabalho, por exemplo, ou durante viagens de avião.
Outra fonte de mercado faz afirmação semelhante. Dan Raybum, principal analista da Frost & Sullivan, confirma os rumores. “É uma progressão natural para a Netflix ter parte do seu conteúdo disponível para consumidores que queiram assistir offline, e temos escutado por meses que eles irão, de fato, lançar algo [nesse sentido] em breve”, disse.
Em setembro do ano passado, o diretor de produtos da companhia, Neil Hunt, comentou que quem usa serviços de streaming não tem interesse por opções de download e essa se tornou a resposta oficial da Netflix em relação ao tema. Até que, em abril, Rastings foi de encontro ao que disse o colega ao informar que eles não descartavam mais a possibilidade.
A razão para a mudança de pensamento está na expansão da Netflix. À medida que a locadora chega a novos países, descobre-se que nem todos contam com a infraestrutura ideal para o consumo via streaming. Além disso, a Netflix anda fazendo experimentos com material em 4K, e é praticamente impossível reproduzir algo tão pesado com uma rede de velocidade padrão.

Fonte: OlharDigitalUOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário